Blog do Criador

Esta seção é o blog do criador. Impressóes sobre o American staffordshire terrier, a criação, o canil, assuntos relevantes e polêmicos podem ser abordados de forma livre e transparente. Se tens alguma contribuição verdadeira a fazer para a raça envie um e-mail que discutiremos.

  • 25 de Abril de 2017
  • Análise de ninhadas atuais e vindouras.

Nesse momentro estamos com uma ninhada muito interessante para quem deseja ou aprecia o sangue do Red Warrior Dinasty Highlander. A SHIWA é filha da Kate com o Highlander e o ARON é filho da Sherwood (filha do Highlander com a importada Europa) como Hunter. Tenho certeza que vários filhotes dessa ninhada serão para show. Eles irão mudar muito com o desenvolvimento pois possum muita qualidade genética. Fora essa ninhada está para nascer uma ninhada da SHADOW com o COLT nos próximos dias. Esse ano estou realizando cruzamentos especiais. Cruzei a CELTA de genética européia premiada e de muita estrutura com um american que não conheço mais forte, o MONSTER. Se não nascerem americans muito fortes em estrutura e cabeça nessa ninhada será uma surpresa que certamente não terei. O Monster é filho da Europa que é uma das fêmeas mais fortes que conheci com o Highlander que é filho de um dos melhores padreadores americanos. Essa ninhada é para a metade do mes de junho. Outro cruzamento especial é o da SUNDAY. Ela tem 3 anos e nunca cruzei. Ela é filha da THORA (irmã do TOTTENHAN) com o HIGHLANDER. Cruzei com o TEXAS (irmão da Celta) de genética européia premiada. E nos próximos dias cruzarei a PIT BLUE com um filho do Cielo com a Máphia de minha criação que está com um amigo. Mas isso não está totalmente decidido. Estudo outras opções. Enfim, belas possibilidades para quem deseja americans de verdade em estrutura, genética, temperamento e tradição pois nesses cruzamentos encontramos a solidificação de um trabalho seletivo.

Nas fotos abaixo visualizarão os americans envolvidos nesses cruzamentos.


  • 05 de Março de 2017
  • Alegria pela alegria!

Fico feliz com uma realidade que se torna um alicerce de estímulo na minha vida. E esse estímulo se chama alegria pela alegria. Quando eu percebo a alegria das pessoas ao receberem e curtirem o filhote, quando noto no olhar de uma criança que pega o filhote nas mãos, fita os olhos do pai que propicia aquele presente único e que impreganará a sua mente e alma para o resto da vida, algo surge em meu coração. É uma alegria ímpar, indescritível e inefável. É ser compassivo e vibrar em uníssono com o som que nasce do íntimo daquele menino ou menina. Daquele pai ou mãe que alegremente propicia aquele momento que se eternizará. Falo isso porque o maior presente que uma criança pode receber de um pai ou mãe é o seu cãozinho. Na pureza da criança que nada julga e está com sua mente livre ocorre uma fusão e uma complementação. A amizade irrestrita e sempre presente de um cão e, no caso cito o american que reune esses predicados, nunca se apagará nas cadeias de pensamentos dessa criança e repercutirão em sua vida futura. Em razão disso eu afirmo que caso um cão faleça não pensem duas vezes. Busquem outro. A criança e até mesmo o adulto ficarão eternamente com uma mácula, uma chaga, uma dor que só poderá ser atenuada com outro filhote que ajudará a superarmos a dor e transcendermos para uma outra realidade afetiva.

Quando eu tinha cinco anos de idade meu pai nos USA, cidade de Baltimore, me presenteou com um filhotinho. Poucos dias depois esse amiguinho veio a falecer. meu pai não o substituiu. Passei a vida desejando um outro cão mas meus pais diziam que faria sujeira num apartamento e não deram importância ao meu pedido. Eu reprimi aquele sentimento e nunca mais falei e calei aquela dor nas sombras da mente, na escuridão dos porões do inconsciente. Até que depois de adulto eu abri uma imensa janela na minha vida, capaz de sublimar qualquer conflito e de compensar com juros e correção a carência de anos. Uma luz entrou em minha vida. Me tornei criador e noto que esse impulso imenso que me faz perseverar nesse intento nasceu de uma perda. A perda de um amor. E no amor que sentimos por cada filhote está incutida a certeza que aí está a semente de uma alegria e a possibilidade de uma redenção, de um salto quântico, de uma necessidade de termos um companheiro ou companheira que pouco nos pede e nos dá tanto. 

Assim eu sinto a alegria pela alegria de cada pessoa que ingressa na família New Kraftfeld. Ontem entreguei um filhotinho para um pai orgulhoso e feliz para seu querido filho. Pude ver mas nas fotos que recebo de tantos cantos do Brasil sinto o mesmo. Obrigado a todos por existirem. Todos necessitamos uns dos outros. E os cães precisam do homem que o chamou para sua vida.


  • 19 de Dezembro de 2016
  • Natal

Minha irmã é muito religiosa. Ela diz que no Natal comemoramos o nascimento do menino Jesus. Ela acredita nessa tradição. E me critica pelos momentos que tenho pouca fé. Houve uma época que estudei astrologia e aprendi a fazer os cálculos e descobrir minha carta natal. Sem computador e consultando as efemérides. Tive um astrólogo que me ajudou a aprimorar os conhecimentos que adquirira auto-didaticamente. Foi então que descobri que meu sol estava em Virgo quando nasci e meu ascendente seria Peixes. Foi aí que descobri meu conflito eterno. Quando uso o lado critico de Virgem que deseja provar tudo pela razão questiono a existência de Deus num mundo de tantas injustiças e sofrimento. Quando uso meu lado de Peixes, regido pelo intuitivo planeta Netuno sinto a presença de algo maior e intuo a presença de algo maior.

Depois de tantos anos em meus debates internos sobre Deus eu cheguei a uma conclusão. Minha conclusão é que não existe, pelas nossas capacidades limitadas nenhuma condição de concluir a respeito de um tema tão complexo. Podemos adotar crenças e segui-las. Podemos entrar para uma religião e acreditar nos conceitos ensinados. Mas nenhuma religião é perfeita pois todas foram criadas pelos homens. Como Krisnamurti disse em um de seus discursos a descoberta de Deus enquanto uma repetição de conhecimentos adquiridos não é uma experiência divina, mas uma cópia e não é a experiência de iluminação.

Creio que a descoberta de Deus, se existir em nossas vidas, deva ser um processo individual e legítimo e nunca uma imposição por dogmas. Não creio nesse Deus que está sentado em algum lugar do universo nos observando como um pai e nos premiando ou punindo. Nem acredito num Deus que exija adoração.

O conceito de Deus deve ser algo muito maior que abarque o universo e não nossas idéias repetitivas e arcaicas. Deus sendo bondade infinita naturalmente compreende nossas limitações e jamais exigiria ser adorado como um Ser narcisista. Muito do que lemos na bíblia foi distorcido pela tradição oral. Jesus não deixou nada escrito. Mas os cristãos acreditam que tudo que está na bíblia é a palavra de Deus. Isso nos dá segurança. Saber tudo o que Deus pensa é bom. Mas ninguém me convence de que Deus pensa conforme está na bíblia. Muito do que está no Novo Testamento, no que se refere às palavras de Jesus é compatível com a idéia de um Deus bondoso e justo. Mas dizer que a bíblia seja o que Deus pensa é reduzir a Deus. Tem um trecho em que o evangelista João diz: se fosse escrever tudo o que Jesus disse e fez não caberia em todos os livros do mundo.

Por isso penso que o importante é fazer o bem, levar uma vida íntegra e correta, Tentando fazer o melhor que consigamos. Respeitando a nós mesmos e aos nossos semelhantes. Deus existindo Ele estará conosco. Não precisamos seguir qualquer religião, embora no ambiente religioso podemos encontrar ótimas pessoas para sermos amigos. Penso que quando amamos nós entramos em comunhão com algo maior e esse é o ensinamento de Jesus. Sua vida foi de amor e renúncia. Morreu por um ideal. E é isso que eu celebro no Natal.

Jesus disse: se tiverdes fé farás o que eu fiz e muito mais. Isso me inspira a pensar que Deus estaria em Jesus e em todos nós e não num Ser separado. Somos nós, como nossas mentes que construimos um céu ou um inferno em nossas vidas. Mas, se depois dessa vida, haverá outra eu não sei. Respeito quem assim pense. Os espíritas acreditam na reencarnação assim como os budistas. Os cristãos em uma só vida e depois a que teremos ao ressucitarmos que nem Jesus. Os islâmicos acreditam que iremos para um paraíso com muitas mulheres. Eu não sei. Gostaria de saber. Tomara que seja um lugar e feliz se existir.. E se houver chopp, música e muitas mulheres melhor ainda. E alguns americans.


  • 04 de Dezembro de 2016
  • Uma cantina maravilhosa!

Hoje sai com a família para procurar um local diferente para almoçar. Minha intuição era de que se seguisse em direção ao Lami encontraria um local diferente e bom. Pois tinha razão. Indo pela Av. Edgar Pires de Castro, ao chegar no número 10.853 encontrei a CANTINA DO BLAU. Bifê de carnes e saladas num ambiente rústico, com forno a lenha, várias carnes que incluia além da picanha, galeto, vazio, etc. e uma especiaria que procurava há muito tempo que é a carne de javali. E um atendimento excelente por pessoas simples que transmitem uma boa energia. Pedi cerveja mas notei que também havia chopp. Bem gelado. Sobremesa e depois um café bem feito. O valor? R$ 35,00 por pessoa. Retornarei logo!


  • 02 de Dezembro de 2016
  • O que é a vida? Diga lá meu irmão!

Lembram dessas perguntas a respeito da vida que o falecido compositor, ainda jovem, Gonzaguinha, prenunciava em sua canção. Ele dizia: é a vida, é bonita, é bonita, é bonita! Falava das dificuldades, vicissitudes de nossa existência, dúvidas, mas ainda mantinha a certeza de que a vida valeria a pena de ser vivida. Ele era separado e criava suas filhas. Era um pai e mãe. Dedicado, culto, criativo e politizado. Quando viajava de carro após um show houve um acidente e ele silenciou para sempre. O preparador físico Paulo Paixão perdeu um filho nessa tragédia da Chapecoense. Ele já havia perdido outro filho. Não reclamou, não ficou revoltado. Apenas disse que nada tinha que reclamar de seu bom Deus.

Todos aqueles pais e parentes chorando e procurando consolo. Muitos afirmam que foi vontade de Deus. Que Deus sabe o que faz. Que tudo tem seu motivo. Creio que a crença em Deus e em sua bondade infinita é que torna a vida de milhões de pessoas no mundo suportável. Quando uma tragédia, uma grande dificuldade assombra nossa existência retornamos a um estado infantil quando elevávamos a mão para procurar a ajuda de nossos pais. Nos sentíamos desprotegidos e com medo. Deus é o substituto de nosso pai. Não seria coincidência que o chamamos de Pai? Creio que não. Mas é bom pensarmos que em algum lugar do universo ou em todos os confins do mesmo exista um Criador de amor paternal que esteja lá, planejando tudo e esperando que um dia nos encontremos com Ele. Desde que nos comportemos bem, o adoremos e saibamos suportar as dificuldades de um planeta onde reina as forças do mal simbolizadas pela autoridade do demônio. As religiões falam dessas possibilidades e explicações. O mundo tem abraçado centenas de religiões. John Lennon e Dawkins afirmam que a vida na terra seria melhor sem as religiões. Quantas guerras e atrocidades tem sido cometidas em nome de religiões. 

Seja como for, para as famílias dessas vítimas inocentes que tiveram seus destinos ceifados pelas mãos imprudentes de um comandante de avação irresponsável só existem tres saídas: a inconformidade e a depressão ou a resiliência que a fé num plano divino ou espiritual os remete. E em terceiro a compreenssão de que fomos sorteados com a possibilidade extremamente difícil de acontecer que é de termos nascido. Entre milhões de espermatozóides apenas um podia alcançar e fertilizar aquele óvulo. Ganhamos a sorte grande em existirmos. Isso já não é o suficiente? Quem sabe a morte nos ensine que precisamos viver com intensidade o presente pois todos nós um dia também silenciaremos. Bilhões de vidas em potencial que nunca existirão. Ter essa oportunidade não nos é suficiente. Ou precisamos ter certeza de uma vida após a morte, a eternidade do espírito e a existência de um Deus para vivermos a vida com intensidade, alegria e dignidade?

A vida é um feixe de luz, rápido, belo e sofrido na efemeridade do tempo.


  • 22 de Outubro de 2016
  • Novas fotos dos filhotes.

Depois de uns dias de chuva parece que o sol começa a dar ar de sua graça. Deu para fazer um filme dos lindos filhotes da Seattle com o Excalibur e coloquei hoje no site. Nesse fim de semana coloco as fotos dos filhotes das novas ninhadas: COLT x SWEET QUEEN, ABBEY x STEPPENWOLF e RHONDA x STEPPENWOLF


  • 08 de Outubro de 2016
  • Filhotes tops!

Que bom que Porto Alegre nos brindou com um belo dia de sol. Ontem fiz um breve filme dos filhotes da Spartha mamando. Nem abriram os olhos ainda. E atualizei as fotos dos lindos filhotes da Seattle. Assim que abrirem os olhos tirarei fotos individuais dos filhotes da Spartha. Nasceu outra ninhada que foi bem planejada: Abbey com Steppenwolf. Nasceram 8 machos e uma fêmea. Impressionante! Nasceram também os filhotes da Sweet Queen com o Colt. Filhotes tops por todos os cantos do Campo de Força. Realmente especiais. Terei que selecionar algum para mim. Dá vontade de ficar com muitos. É sempre assim mas não dá. Mas é ótimo saber que enviarei qualidade. Foi o que fiz com uma pessoa da Argentina que enviei uma fêmea e hoje é Campeã na Argentina. Parece mentira mas em quase todas as minhas ninhadas existe um ou dois que poderiam ser campeões mundiais. Mas é preciso preparar e levar em pistas. Raríssimas pessoas fazem isso. Primeiro porque é oneroso, segundo porque o tempo vai desvanecendo esse propósito pois é investido muito para dar títulos a um exemplar e depois, na hora de comercializar os filhotes a maioria das pessoas dá pouca importância para isso. A maioria não sabe o que é uma exposição e muitos pensam que tendo pedigree significa que o cão é bom. Quando na verdade é o conteúdo do pedigree que poderá valorizar ou não um filhote. Poderemos ver uma excelente procedência, um ótimo cruzamento, ou o contrário. O leigo pensa que tendo 4 patas e de determinada cor está muito bom. Já o que é inteligente pesquisa, dialóga com o criador e usa seu feeling para ver melhor o que está adquirindo. Uma jóia de american ou apenas um american. E podem ter certeza que as diferenças são grandes. Por isso se seleciona e se investe. É ótimo criar quando os objetivos são idealistas. Uma proa visionária visando uma excelcitude, uma perfeição. Essa frase é excelente para terminar o blog de hoje e dedicar um ótimo fim de semana para todos da família New Kraftfeld. 


  • 04 de Outubro de 2016
  • Interpretação correta

Antes que eu seja interpretado de forma equivocada nos últimos conteúdos que escrevi gostaria de dizer algumas palavras. Como sou um dos primeiros criadores da raça venho acompanhando a evolução do american como se estivesse assistindo um filme. Um filme no qual sou protagonista e apareceram gradativamente outros atores. Para quem não sabe eu me preocupo demais com a raça que me apaixonei. São 25 anos, uma vida de entrega em que não existiram feriados. Aquilo que o homem cria através de anos de história uma bomba destrói em segundos. Minhas preocupações são várias na raça. Desde as bases estruturais até o temperamento e a beleza. Mas por ordem de importância eu coloco temperamento, estrutura e depois beleza. Como os tres itens são importantes para mim eu me aperfeiçoei nos tres. Quando essa linha de sangue pecava num desses tres ítens eu buscava uma solução através de um cruzamento específico. Para se solucionar uma falta devemos procurar a virtude que está carecendo nesse exemplar com uma virtude em outro. Por isso sempre fui adepto de ter planteis grandes para poder observar melhor a todas as opções. Quando uma virtude é fixada passa a ser transmitida genéticamente com maior frequência. Para se fazer um trabalho sério é necessário tempo, estudo e investimento. Suor estudo e dinheiro. Quem não sua não trabalha e sem trabalho nada se consegue nessa vida. Sem estudo acabamos cruzando erradamente e fixamos defeitos. E sem dinheiro não oferecemos alimentação adequada, não renovamos nosso plantel nos momentos pontuais necessários e não levamos em exposições os exemplares.

Sendo assim, quando meus desabafos forem meio agressivos ou antipáticos filtrem um pouco. Um objetivo é digno mesmo que as palavras nem sempre sejam suficientemente eloquentes para que o mesmo seja entendido ou alcançado.


  • 23 de Julho de 2016
  • Filmes e fotos.

Quando as pessoas vem aqui conhecer o canil para buscar um filhote nos casos em que morem aqui no sul geralmente dizem que ao vivo meus americans são ainda mais bonitos. Algo que falta no meu site é eu fazer filme de cada cão do plantel e colocar para que as pessoas melhor avaliem. Se bem que um cao não está sempre nas aparências que o deixem maravilhoso. Quando nós vemos uma artista de cinema em fotos deslumbrantes ficamos admirados e endeusando a beleza daquela mulher. Mas se deixássemos a filmadora registrar todas as passagens veríamos "defeitos" que talvez até nos tirassem o encanto. 

Quando nós vemos aquelas fotos fantásticas de cães em revistas especializadas captadas pelas lentes de profissionais temos uma impressão ótima. Eu não chamo profissionais para tirar minhas fotos. São raras as fotos de profissionais por terem sido enviadas por algum amigo que adquiriu um cão meu e levou em exposição e tirou ou num momento específico. Um amigo de Vitória me disse Nelson, tu precisas contratar um fotógrafo profissional. Mas eu vou melhorando na captação de imagens e algumas fotos que tiro são ótimas. Eu mesmo tiro todas e edito. Não no photoshop visando mudar as características físicas dos cães. Minha edição é para dar mais ou menos contraste, cortar a foto, mudar o tamanho para abrir melhor no site e assim por diante. Quando trabalho no photoshop o que já faz um tempo que não faço e preciso fazer seria para fazer aquelas armações que já fiz de dois cães ao lado de um tanque de guerra ou um casal na frente de um palácio quando tirei uma ninhada da Queen que seria uma rainha e o palco combinou. Isso é feito por divertimento. Fiz um breve curso de protoshop para não precisar depender dos outros. Faço tudo muito ligeiro. As vzes até cometo erros ao relatar algo no site. Devem pensar alguns que esse criador é doido ou está com Alzeimer porque outro dia eu anunciei uma ninhada como sendo da Celta com o Steppenwolf no Facebook quando o certo seria a Shadow. No site está correto mas no Facebook coloquei errado. Um amigo me mandou uma mensagem avisando e eu corrigi. Eu faço tudo no site. A administração, as fotos, os filmes, a edição dos filmes, etc. Não tenho ajuda de ninguém. E se voces fizerem uma análise comparativa qual o criador que "perde tempo" em fazer tudo o que eu faço no site? A maioria dos sites nem atualizados são. Mas eu gosto de fazer isso. Faço por prazer. E sei que teria mais por fazer. Noto que aqui ou ali preciso melhorar. mas ninguém também me dá alguma sugestão. Sempre estou solitário. A única pessoa que me ajuda é a Ida, minha esposa. Mas a sua ajuda é afetiva e nos canis, com os filhotes, me avisando de algo por exempo e tratando com amor os filhotes para que eles não venham a ter poblemas de temperamento no futuro.

Em resumo, é bom trabalhar em algo que nos propicie prazer e façamos com amor. Esse talvez seja o segredo de tudo nessa vida. Quem ama colhe frutos em tudo o que faz. Eu costumo escrever no blog o que me vem na mente. Gosto de escrever. Já publiquei um livro de literatura, uma ficção. Mas os meus pensamentos nem sempre ao bons. Se estou revoltado por algo na cinofilia por vezes externo idéias ou opiniões que seria melhor guardar para mim. Uma impulso não controlado de dizer. O homem precisa pensar antes de falar ou escrever. Eu nem sempre faço isso. Mas já fui pior.

Hoje à tarde eu tiro fotos dos filhotes da Celta com o Highlander. Perceberão as jóias que estão ficando.

Passem um ótimo fim de semana!


  • 21 de Julho de 2016
  • Pedigrees.

Hoje estive no kennel para registrar as ninhadas da Kate com o Excalibur, da Sherwood com o Cielo e da Shadow com o Steppenwolf. Dentro de 30 dias os pedigrees voltam da CBKC e então poderei enviar para os que adquiriram seus lindos americans. Lindas ninhadas! Coloquei os nomes que todos escolheram. Com excessão do machinho da Kate e da Shadow que ainda estão disponíveis. Nesses escolhi Ranger e Viking respectivamente.

Por falar em lindos, perderão os que não ficarem com filhotes da Celta com o Highlander. 


  • 20 de Julho de 2016
  • A seleção.

Depois que nós organizamos um canil, reparando tudo que achamos que seja importante para melhorar as acomodações dos cães ou tornar mais ágil nosso trabalho existe uma sensação de dever cumprido. Existe muito prazer em lidar com os cães. Eles passam uma energia boa e fiel. O olhar deles é de expectativa para tentar descobrir a nossa reação. Hoje quando acarinhei o Steppenwolf ele me dava pequenas mordidinhas no braço, apenas tocava os dentes, nem apertava, como se quisesse transmitir algo. Como se usasse um recurso para demonstrar afeto. Precisamos interpretar o que os cães tentam nos dizer. Ele gosta muito de mim e costuma me olhar de forma particular. Cada cão tem uma personalidade, um jeito de ser. Quando nós observamos nossos filhos percebemos que, mesmo sendo da mesma família e educação semelhante, cada um tem sua personalidade. Noto essas sutilezas nesses anos que crio. E uma das primeiras impressões que me marcaram muito foi notar que certos comportamentos totalmente particulares aparecem nessa ou naquela geração de forma repetida. Isso mais ainda me estimula a selecionar certos temperamentos.

Estou feliz com a ninhada da Celta com o Highlander. É bom perceber a diferença dia a dia dos filhotes e o carinho de uma mãe. Começamos a oferecer a papinha para eles. Com o frio vem o soninho e todos se agrupam, lado a lado para obterem calor. Lindo de se ver!


  • 17 de Julho de 2016
  • Nascimentos.

Nasceram os filhotes da Ebony com o Texas. A Seattle cruzou com o Excalibur essa semana. O Texas é tricolor e a parte vermelha dele influenciou os resultado genético pois a maioria dos filhotes é vermelho com lindas marcações. Poucos pretos. Mas são 11 filhotes. Quantos filhotes para cuidar. Ainda bem que a Ebony e a Celta estão sendo mães delicadas e dedicadas. Palavras semelhantes que se complementam.