Blog do Criador

Esta seção é o blog do criador. Impressóes sobre o American staffordshire terrier, a criação, o canil, assuntos relevantes e polêmicos podem ser abordados de forma livre e transparente. Se tens alguma contribuição verdadeira a fazer para a raça envie um e-mail que discutiremos.

  • 30 de Dezembro de 2015
  • FELIZ ANO NOVO

O ano de 2015 está no fim e muito tivemos de alegrias e tristezas nesse ano. Todos sabem disso. Talvez mais alegrias, talvez o contrário. Mas tudo é efêmero e o que importa é que continuemos tentando ser felizes e vitoriosos nessa luta diária. A felicidade continua repousando na simplicidade. Não mudei minha concepção depois de mais um ano vivido. Mas é o essencial que nos completa. Sem dúvida precisamos ter casa, comida, trabalho e saúde. Mas mesmo tendo essa base a maioria de nós se queixa todos os dias de algo e a felicidade fica longe de nós. O que eu desejo para todos que estimo e, em especial, aos membros da família New Kraftfeld é que despertemos para o presente pois é a única riqueza que temos. O passado morreu e o futuro só será ótimo se algo fizermos agora. Felicidade a todos e obrigado por existirem!


  • 20 de Dezembro de 2015
  • A questão do vínculo.

Numa relação entre um terapeuta e seu paciente é fundamental a formação de um vínculo que permita uma boa evolução do tratamento. Na medida que as consultas vão ocorrendo e a confiança conquistada surge um terreno propício para que ocorram bons resultados no tratamento. Quando um pai estabelece um vínculo forte com seu filho fica mais fácil estabelecer limites, conquistar espaços afetivos fortes e uma relação saudável. Quando se fala na relação entre nós e os americans percebo que o vínculo existe na medida que temos uma boa relação com o cão desde cedo. Ele percebe e nós percebemos. Existe uma troca de olhares em momentos decisivos de alegria, tristeza ou dificuldades. 

Foi assim que senti há poucos dias quando a Pit Blue estava com dificuldades no parto. Ela falou comigo com os olhos, sua expressão de extrema dificuldade e dor. Embora não gemesse e até existisse um silêncio eu percebi que ela não estava bem mesmo tendo já nascido 3 filhotes. Foi só eu sair de perto para ir até o interior da minha residência que já começaram a acontecer fatos. Um filhote nasceu morto e outro ela comeu pela metade. Foi isso que eu vi ao retornar. Peguei a Pit, deixei os 3 que nasceram com a Ida, minha esposa e levei ao veterinário. Lá ela fez uma cesárea. Um filhote grande trancado morreu e outros seis foram salvos. 

Ela retornou, mediquei para a dor, dei antibiótico injetável e depois de dois dias ela estava outra cadela. Dedicada e feliz com seus filhotes. Quando chego no canil ela continua me olhando. Existe uma cumplicidade. Um elo entre nós. Um vínculo. Tudo isso faz muita diferença numa criação.


  • 28 de Novembro de 2015
  • Amor confiável.

Hoje tive uma surpresa interessante ao participar de um congresso de psicoterapia no Instituto Cyro Martins. Uma das palestrantes apresentou o seu trabalho de conclusão.  O tema que escolheu foi uma abordagem psicanalítica da relação do homem com os animais de estimação.  Embora a apresentação tenha sido breve diante da complexidade dimensional do tema apreciei muito e pedi que me enviasse por e-mail o seu trabalho. Mas no início do mesmo me chamou atenção uma frase de Sigmund Freud. "Ao contrário do homem que é capaz de sentir amor e ódio pela mesma pessoa o cão separa os seus sentimentos e é capaz de demonstrar o amor para com seus amigos e o ódio para os seus inimigos".  Por isso que o amor que um cão sente por nós é confiável. É puro. Uma expressão de sentimentos não contaminados pelo ódio, a inveja, o rancor, a falsidade e a vingança. Sentimentos frequentes e comumente encontrados na espécie humana.


  • 12 de Novembro de 2015
  • Reformas, proteção e coragem.

Nesse mês de novembro ou início de dezembro pretendo fazer uma reforma geral nos meus canis. Manutenção, nova pintura e melhoramentos. Renovação. Por falar nisso estou com novidades no plantel. Importei um belo macho azul da Europa. Mas é novo, filhotão e mais tarde tiro fotos dele. A forte Morgana está no cio. Será a primeira vez que ela cruzará. Penso em duas opções para ela: o Highlander ou o Excalibur. Essa semana decido.
Os filhotes do Highlander com a Alice estão próximos de nascerem e serão especiais. Essa semana ocorreu um fato notável que se fosse filmado poderia ser enviado para algum programa de TV. Nós temos 3 gatos. Uma gata é a Sunny. Vermelha. Apareceu há 2 anos no quiosque. Vira algo vermelho, peludo, em cima de um jornal. Era uma filhotinha. Não sei como chegou aqui. Ela se mostrou inteligente em sobreviver e com sorte pois naquela noite não soltara americans naquela parte do terreno. Ela foi recebida com amor e levada para dentro de casa. Cresceu e um dia, já adulta, sumiu. Voltou uma semana depois. Os dias foram passando e notamos que estava grávida. Aquele período de desaparecimento foi para uma aventura amorosa. Nasceram duas gatinhas e um gatinho e nunca soubemos o paradeiro do pai. Os filhotes nasceram em cima de nossa cama. As duas fêmeas foram doadas e o macho que escolhemos para ficar foi mais tarde castrado e se chama Tiguinho. Ele parece um tigrinho vermelho. Está agora com 8 meses. É meigo, querido, nos procura e atende pelo chamado. Transita ao redor da casa e não desce ou sobe no terreno em áreas onde enxerga os americans. Aprendeu esses cuidados com a sábia mãe. Mas agora vem o fato. Essa semana o meu empregado não fechou direito a porta do canil onde está o Texas. Ele subiu e encontrou o Tiguinho de surpresa perto do pedreiro que estava perto da casa. Ele abocanhou o Tiguinho que miou apavoradamente. A Sunny estava perto e saltou nas costas do Texas. Ele soltou o Tiguinho para pegar a Sunny. Enquanto isso o Tiguinho atingiu o alto de uma árvore. E a Sunny escapou. Depois de dois dias ela apareceu à noite. Procurou o Tiguinho e o lambeu. Dormiram juntos. Uma mãe corajosa foi tudo o que o Tiguinho precisou. Felizmente o Texas perdeu. Venceu a coragem, a pureza e o bem. O instinto de proteção talvez seja a mais virtuosa, digna e importante força do reino animal.


  • 25 de Outubro de 2015
  • Evolução das ninhadas...

As tres ninhadas, cada uma com suas características, estão excelentes. Os da Seattle serão fortes e mais compactos, embora só o tempo nos dirá com toda a certeza pois é a 1a vez que faço esse cruzamento. Os da Queen já estão com mais idade e começaram a comer sozinhos ontem, embora ainda procurem a mãe para mamar. A Queen já não está com tanta vontade de alimentá-los pois os dentes já iniciam a machucar as mamas. A Spartha está com mais leite do que a última gestação. Acreditamos que tenha sido pela vitamina que demos a ela em todo o período gestacional. Enfim, todos estão ótimos e felizes. Cruzei na semana passada a Pit Blue com o Excalibur. Repeti esse cruzamento e não dei descanso para a Pit. Fiz isso porque ocorreu um fato inédito na minha vida de criador. Na ninhada recente que a Shadow e a Pit tiveram filhotes na mesma época ocorreu uma briga entre ambas. A Shadow conseguiu abrir uma porta que dava acesso ao canil (ela estava solta com a Endy no pátio) e logo em seguida abriu a porta onde a Pit estava com seus filhotes. A Pit e a Endy brigaram com a Pit (A Shadow e a Endy vivem juntas no mesmo box e são aliadas - a Shadow é filha da Eny) e a machucaram bastante. Quando cheguei no local a Shadow cuidava dos filhotes como se fossem seus. A Endy estava no pátio tranquila e a Pit estava se recuperando num box vazio. Interpretando o ocorrido: como a Shadow havia sido separada de seus filhotes há dois dias na ânsia de recuperá-los e protege-los julgou que aquele choro era de seus filhos. Brigou com a Pit para salvá-los e assumiu a ninhada que nem era sua. Daí eu fiz o seguinte: já que queres tanto e machucastes a Pit cuide então da ninhada enquanto a Pit se recupera. De fato a Pit não tinha condições de se movimentar já que ficou muito lesada pelas mordidas das duas. Agora, forte e linda como nunca, a Pit terá uma ninhada para cuidar de fato. Vou tirar umas fotos dela para verem como ela está linda. Por falar em fotos, hoje não tirei mais fotos porque estive envolvido com a cirurgia que minha filha fez. Bem, a chuva tem sido intermitente e, se o dia de amanhã deixar coloco mais fotos. O que aconteceu entre a Shadow e a Pit é uma demonstração de que o american é fiel, corajoso e resistente. Nunca um american de minha criação atacou um familiar ou amigo de familiar. Muito menos uma criança. Por mais protetor que seja com seus filhotes nunca uma fêmea rosnou para mim ou para minha esposa quando manipulamos com os mesmos. Falo isso apenas para não ficarem impressionados. Pensem no que fariam se um de seus filhos estivesse sob ameaça. Viraríamos feras. É natural que algo assim possa acontecer pois a natureza exige que protejamos nossas proles visando a preservação da espécie. 


  • 11 de Outubro de 2015
  • Fotos dos filhotes. Dia das crianças!

Coloquei as fotos tiradas hoje da ninhada da Queen com o Cielo. Já estão com 15 dias. Estão em filhotes atuais!

Bem, amanhã é dia 12 de outubro. Dia das Crianças. Escrevi uma mensagem no facebook. Repito aqui:

Feliz Dia das Crianças para todos!

Embora a criança que temos dentro de nós esteja esquecida, reprimida e até desrespeitada é importante lembrarmos que ela busca expressão de muitas formas. Precisamos descobrir a alegria que tínhamos nas fases precoces de nossa existência quando não estávamos ainda modificados pelas exigências e condicionamentos impostos pela educação e condicionamento social. Essa criança existe em nosso âmago, nos nossos sorrisos puros, nas horas que brincamos com nossos filhos ou nossos animais domésticos. Quando sonhamos e acreditamos numa quimera distante e quase inacessível. Precisamos resgatar essa criança que ficou aprisionada pois é nela que reside a alegria e a esperança. E quando o homem perde a capacidade de se alegrar e de confiar em seu destino é porque a sua criança foi morta e o que passa a existir é um ser destituído de alma. Um protótipo de ser humano pois é na criança que encontramos a fé cega, o afeto puro e a sinceridade. Desumanizando o homem esvaziamos o futuro da humanidade. E isso acontecendo em proporções mundiais pode significar o fim da humanidade. Um homem frio com uma criança triste e aprisionada é capaz de cometer loucuras e atrocidades.
Talvez seja por isso que Jesus tenha dito a seus discípulos: deixem as crianças virem até mim pois é delas o reino de Deus. Deveis ser como elas.
Finalizando, amanhã que seja lembrada e enaltecida a criança que habilta nosso íntimo. Festejemos fazendo brincadeiras, sorrindo, amando e lembrando daqueles que são importantes para nós.

 


  • 23 de Setembro de 2015
  • O que sobrevive da chuva...

O frio e a chuva criam em certas cidades européias um ambiente que eleva o número de suicídios. O sol, quando some de nossas vidas leva paulatinamente à depressão. É como estão os gaúchos que vislumbram um céu cinzento e acompanhado de chuva há 10 dias. Quem vive nas partes mais altas do Brasil, distantes do sul, são mais alegres e, com facilidade sambam, cantam e riem. Nós ficamos alegres depois da primavera. Ou nos dias frios que coexistem com os raios solares que aquecem nossas mãos, rosto e coração. Daí surge o entusiamo, a vontade de sair, fazer coisas pendentes pelo pátio, com os cães, buscar uma laranja no pomar ou seguir adiante pelos caminhos da vida. O clima interfere no humor das pessoas. O frio estimula o trabalho e o pensamento. O calor a lassidão, o riso e a preguiça. O frio a reflexão o calor a alienação ou a fuga da realidade. Por isso os europeus são mais cultos e os de clima quente mais superficiais. O sol nos faz viver mais o físico e o frio o espírito. Vejam onde está o Tibete.

Tres ninhadas estão chegando. São promissoras. A da Seattle com o Will prometem força, estrutura, belas cabeças, em corpos compactos. A da Sweet Queen com o Cielo belos atletas blues e também blue fawn e na da Spartha com o Hunter fortes e compactos blues. Todos terão virtudes em suas ninhadas e com marcações variadas. Captando aqui e ali encontraremos diamantes. Na vida e na cinofilia precisamos fazer escolhas. São elas que ditarão o amanhã. Tive sorte nas últimas escolhas de cruzamentos que geraram as cinco últimas ninhadas e já enviei quase todos os filhotes.

Por falar nisso chegaram os pedigrees das seguintes ninhadas: Matrix e Texas, Shadow e Excalibur e Ebony e Monster.


  • 22 de Agosto de 2015
  • O que se passa...

Bem, hoje tirei fotos dos filhotes ainda disponíveis da Matrix com o Texas. Como tive muitos filhotes ao mesmo tempo, em torno de cinquenta, é natural que alguns fiquem para o fim e dos 10 da Matrix ainda restam nesse momento 4. As vezes as pessoas pensam que os últimos são inferiores mas isso geralmente não é verdade. Amanhã quero tirar fotos dos filhotes da Shiwa com o Hunter. Os da Navaja já foram todos reservados. Uma notícia agradável: o Excalibur  venceu hoje a raça em Joinville e se tornou Campeão Brasileiro.

 A Sweet Queen parece estar grávida do Cielo e dentro de 40 dias aproximadamente deveremos ver belos filhotes pois essa combinação deve dar certo.


  • 17 de Agosto de 2015
  • Um ser vivo especial.

Li uma reportagem de um trabalho que estão realizando nos USA com presos. Estão ensinando os presos de uma cidade americana, me parece que no estado de Arkansas, a lidarem com cães com o objetivo de treinarem os mesmos para serem usados em várias tarefas importantes. Entre elas a detecção de drogas, descobrimento de certos artefatos enterrados e assim por diante. Esses presos passam a ter a companhia diária com um cão. A experiência tem apresentado um alto índice de sucesso e os presos que muitas vezes nem tinham uma sensação de utilidade ou importância tem recuperado um amor próprio e se preparam para mais tarde se dedicarem a esse novo ofício.

Apesar de eu ser favorável à pena de morte para crimes hediondos fico entusiasmado com essa idéia e de outras que visem preparar ou recuperar certos tipos de condenados. Nos USA quase metade dos estados americanos possuem a pena de morte. Não é uma solução mas um bandido lá pensa duas vezes antes de matar um policial por exemplo. Matar um policial que é um representante do governo para o combate do crime e proteção social é grave em qualquer país. Pena de morte ou prisão perpétua é a pena. No Brasil o bandido mata um policial ou qualquer cidadão de bem como se extermina uma barata, uma formiga ou qualquer inseto. Pouco tempo depois é solto e volta a matar. E os evangélicos são contra a pena de morte com a idéia de que esse assassino pode se converter a Cristo na cadeia e caberia só a Deus decidir sobre a vida do ser humano. Eu penso que nessas questões a Igreja não deveria impor sua influência política sobre o governo. Me lembra a época da Inquisição, periodo negro da humanidade em que a Igreja exigia que queimassem as pessoas que eram tidas como endemoniadas por pensarem de forma diferente e tidas como profanas. Se a Igreja não acreditava na recuperação dessas pessoas ditas endemoniadas porque agora não quer permitir que se proteja a sociedade desses assassinos. O objetivo da pena de morte não seria punir mas proteger a sociedade. Quem mata e é solto normalmente mata novamente.

Essas questões envolvendo a criminalidade, o prazer com o sofrimento alheio, o assassínio sem piedade, o estupro, o latrocínio e toda a forma de violência contra o ser humano tem levado as pessoas a se desacreditarem do ser humano. E o ser humano é o ser vivo que apresenta as maiores diferenças entre si comparado com todos os demais habitantes do nosso planeta. Na raça humana vemos as maiores discrepâncias e comportamentos díspares. Podemos encontrar um Gandhi que dá sua vida pela India. Um Pasteur que toma as primeiras medidas de proteção contra a infecção bacteriana, um Flemming que descobre a penicilina e todos as centenas de idealistas que permitiram que o homem evoluisse. Em contraponto encontramos o Hitler decidido a matar os judeus, os terroristas cegos que matam crianças inocentes para desequilibrar sistemas políticos e impor suas concepções cegas, Vemos um Nelson Mandela lutando contra o Apartheid, regime de segregação racial que dominou a África de 1948 até 1994 e, em oposição à essa grandeza olhamos o Brasil repleto de políticos corruptos e uma presidenta que insiste em mentir ao povo enquanto os bens do povo sangram às custas de muito sofrimento, falta de segurança, atendimento médico qualificado e punidade.

O cão aparece como uma esperança de uma relação pura. Um ser muito próximo do homem. Companheiro em suas labutas há séculos. Servindo ao homem em múltiplas tarefas e protegendo-o de inimigos e outros animais que o ameaçassem. O progressvo incremento do interesse pelo cão envolve a insegurança que as pessoas sentem ao sairem nas ruas e o medo de decepções que tão facilmente temos com as pessoas. O cão oferece uma certeza de fidelidade e companheirismo. Para todas as horas do dia ou da noite. Nenhum ser humano dá tanto por tão pouco. A ração, a água e um afago discreto na cabeça são o suficiente para ele lamber nossos pés e pular em nosso corpo pela alegria de nos ver. 

O american staffordshire terrier é assim e também tantas outras raças. Capazes de fazer a diferença na vida de uma criança, de um adolescente ou de um adulto. Uma relação que não encontramos no meio da selva de pedras, entre os edifícios, na correria para sobreviver numa sociedade autodestrutiva. Um ser vivo especial e por isso cada vez mais ambicionado. O homem procura o cão como se estivesse perdido num deserto buscando um oásis de amizade, certeza e alegria.


  • 03 de Agosto de 2015
  • No Campo de Força.

O ser humano é complexo. Estou com filhotes que se treinados serão futuros campeões mas as pessoas preferem importar cães de fora. Em 2005 um Argentino importou um New Kraftfeld que se tornou o melhor macho do Mundial. Nós colocamos na cabeça, em razão da mídia e do marketing que o que está lá fora é melhor. Mas tenham certeza, analisem e comparem os sites e criadores do mundo inteiro com o meu plantel, a minha história, os cães que já gerei e vejam se precisamos importar. Eu só justifico a importação para abrir o sangue, diminuir cosanguinidade e buscar somatórios específicos. Mas para buscar qualidade não vejo motivos pois já temos. Quando eu importo me perguntam, lá de fora, ao verem meu site, porque estaria importando pois teriam adorado meus cães. Não sabiam que no Brasil existisse essa qualidade. Respondo que seria para fazer novos e abertos cruzamentos. Ter sempre outras opções para trabalhar e selecionar. O brasileiro tem complexo de inferioridade e os europeus e americanos adoram essa nossa característica. Isso nos faz consumir mais o que é de fora e valorizar o que não é nosso. Alguns criadores jogam fora o que conquistaram para começar do zero usando só as genéticas da moda, as mais "certinhas". Outros cruzam filho com mãe para dizerem que "fecharam" com a genética do campeão mundial. Não importa se esses filhotes mais tarde desenvolverem uma patologia de tireóide, um transtorno neurológico ou uma anomalia genética qualquer. O que importa são os nomes que aparecerão no pedigree. Isso não é ciência. Isso não é ser criador. É ser mau e mal condutor de cruzamentos.

Os melhores cientistas brasileiros estão em universidades americanas ou européias. Nós não sabemos valorizar o que é nosso. O filme Quem Somos Nós, estudando a mecânica quântica mostra que vemos apenas parte da realidade e aquilo que queremos ver. Por isso entendo a mediocridade dos criadores de americans e de outras raças. Poucos são inteligentes e a maioria são apenas vaidosos e egocêntricos buscando títulos para se promoverem. Como são medíocres acreditam que obtendo títulos cinófilos se tornam melhores. Vejam o dentista que matou o leão. Ele se acha o máximo. Assim segue o homem percebendo apenas o que lhe interessa. O resultado em exposições não traduz o que é melhor. Na última exposição que fui me falaram que um determinado juíz dava best in show por R$ 5000,00. O que acham disso? Depois me perguntam porque eu tenho participado pouco em exposições. Porque o ambiente é podre. Podre que nem grande parte dos que competem. Continuarei comparecendo eventualmente. Não mais lutarei para vencer rankings. Teria que ir em muitas exposições, investir bastante e tomar tranquilizantes para não invadir a pista e dar um soco num juíz e outro num criador sem moral. Vale a pena? Será que meu site não é suficiente para que vejam meus americans. Será que preciso ficar provando a vida inteira. Seis anos vencendo o ranking não é o suficiente. O homem possui memória curta mas e a sua inteligência? Não somos inteligentes?? Eu sou otimista e sei que um dia tudo isso irá mudar pois nenhuma mentira se mantem para sempre e a verdade e o ótimo sempre triunfam, nem que seja numa outra geração. De minha parte estou feliz pois me sinto protegido e amado. Sentindo uma energia inefável e abrangente que intuo ser do Campo de Força e assim prossegue nosso trabalho New Kraftfeld.


  • 01 de Agosto de 2015
  • A amizade...

Uma sexta-feira de sol me possibilitou novas fotos dos filhotes. Estou num momento de muitos filhotes, Tive ninhadas numerosas e num número maior do que intentava ter ao mesmo tempo. Mas estou feliz com os resultados e gradativamente encontram seus donos definitivos. Existe uma beleza em ver o crescimento e a evolução das ninhadas. Essa é uma realidade antiga na minha vida e que norteou a minha decisão em criar. Perceber as nuances físicas e psicológicas de cada ninhada ou cão em particular é uma arte e um prazer. O homem busca muitos prazeres nessa vida mas alguns somam e outros só nos afastam de nós mesmos criando conflitos. Esse prazer de ver meus americans e seus filhotes, ao mesmo tempo que conheço boas pessoas que se tornam amigas é um prazer único e indiscritível. Creio que os nossos erros nos levam para maus caminhos e nossos acertos nos fazem encontrar momentos e pessoas que se tornam importantes em nossas vidas. Quem me procura atravessa uma ponte e o encontro de nossas mãos é o filhote que nos une em amizade. E o american passa a ser um amigo ou amiga que possui parte de nossa energia e que transcende o campo de força para o novo lar.


  • 13 de Julho de 2015
  • Quando o tempo permitir...

O clima interfere no humor do homem e dos animais. Em dias chuvosos como estamos há vários dias ficamos mais tristes, taciturnos, reflexivos e distantes. Algo parece nos desconectar das melhores experiências da vida. Se estamos dentro de um escritório ou num shopping essas sensações se dissipam. Por isso em dias de chuva, em fins de semana, os shoppings são muito frequentados por aqueles que conseguem sair de suas casas. Aqui no sul faz frio e chove bastante em Porto Alegre nessa segunda feira que por tradição é um dia depressivo. Começar a semana com muita chuva e um céu cinzento não é bom. Por isso não tirarei novas fotos dos filhotes. Aguardo melhores dias que certamente virão em breve. Mas os filhotes estão lindos. Cada dia mais espertos e carentes pois a chuva os deixa mais reclusos.

Nasceu a ninhada da Navaja com o Cielo.  Quando o tempo permitir coloco as 1as fotos.